Fale conosco pelo WhatsApp

Tudo sobre Ritidoplastia

Rosto de mulher com marcações antes da ritidoplastia
13ago, 2020

A ritidoplastia é um procedimento que promove a suavização dos sinais de envelhecimento que acometem a pele do rosto e pescoço. Este tratamento é popularmente chamado de lifting facial ou face lifting, e destaca-se como uma das cirurgias plásticas mais realizadas no Brasil, garantindo um efeito de rejuvenescimento facial com aspecto natural.

Capaz de amenizar as rugas, a flacidez e a perda de tônus muscular, a ritidoplastia utiliza uma técnica que consiste na remoção do excesso de pele e reposicionamento das estruturas faciais. Como resultado, o rosto do paciente adquire uma aparência mais jovem e descansada — sem que a pele fique muito esticada ou exibindo uma cicatriz chamativa.

A realização do face lifting é recomendada para pessoas com mais de 40 anos e que se sentem incomodadas com os sinais visíveis de envelhecimento facial. É importante, porém, que o paciente saiba que a cirurgia não é capaz de conferir uma aparência totalmente nova ou interromper o processo de envelhecimento: na realidade, o tratamento otimiza as características do paciente por meio da correção de danos causados pelo passar dos anos.

Benefícios e indicações do lifting facial

Como parte do processo de envelhecimento, a pele do rosto vai perdendo sua tonificação e desenvolve flacidez, rugas e linhas de expressão. Alguns fatores como tabagismo e exposição excessiva ao sol podem acelerar o aparecimento desses sinais, assim como algumas características hereditárias.

Embora a adoção de uma rotina de cuidados com a pele seja capaz de minimizar esses efeitos, eles fazem parte do ciclo de vida de qualquer pessoa. Apesar disso, muitos problemas relacionados à autoestima podem surgir juntamente com os sinais de envelhecimento, prejudicando o bem-estar e a qualidade de vida das pessoas.

Para os pacientes que se sentem incomodados com essas consequências naturais do envelhecimento, a ritidoplastia é indicada para recuperar a tonificação da pele e atenuar os sinais típicos da passagem do tempo. Esta cirurgia de rejuvenescimento facial é capaz de corrigir problemas como perda de tônus muscular, presença de vincos profundos localizados abaixo das pálpebras inferiores, pele frouxa e flacidez facial.

Os resultados alcançados trazem benefícios como:

  • Melhora da autoestima do paciente;
  • Suavização das rugas e marcas de expressão;
  • Recuperação do tônus muscular;
  • Redução da flacidez facial;
  • Aprimoramento das características naturais do paciente.

Como é feito o procedimento?

Por se tratar de uma cirurgia plástica, a ritidoplastia deve ser feita em ambiente hospitalar e apenas após uma avaliação pré-operatória criteriosa. O procedimento é acompanhado não apenas pelo cirurgião especializado, mas por anestesiologista, instrumentador cirúrgico e enfermeiros. A presença desta equipe completa é essencial para garantir o conforto e a plena recuperação do paciente.

Para a realização do lifting facial, o paciente recebe anestesia geral ou sedação intravenosa. Em seguida, o cirurgião plástico faz uma incisão na região do couro cabeludo e acessa os músculos que serão restaurados a partir da técnica. O especialista faz o reposicionamento das estruturas faciais, remove o excesso de pele e faz uma sutura com bandagem.

O tempo de internação normalmente não ultrapassa 24 horas, mas o paciente precisa adotar cuidados específicos mesmo após a alta hospitalar. Nas primeiras 72 horas, por exemplo, é recomendado dormir com a cabeceira da cama elevada, além de evitar encostar a lateral da face no travesseiro. Também é necessário evitar a exposição solar, fazer uso dos medicamentos prescritos e esperar liberação médica para praticar exercícios físicos.

Esses cuidados pós-operatórios são essenciais para que o processo de cicatrização ocorra dentro do esperado, sem complicações, e as marcas da operação fiquem discretas. É comum que inchaços e hematomas apareçam na região facial nos primeiros dias após a ritidoplastia, assim como algumas dores, mas a tendência é que esses desconfortos regridam de maneira progressiva com o passar do tempo.

Tipos de ritidoplastia

A cirurgia de lifting facial pode ser focada em diferentes partes do rosto do paciente, sendo que para cada região o procedimento recebe um nome diferente. A ritidoplastia do terço inferior, por exemplo, promove o rejuvenescimento da porção inferior da face, sendo mais indicada para redução de papada.

O facelifting do terço médio, por sua vez, visa corrigir imperfeições na área central do rosto — que envolve bochechas, região das pálpebras, e sulco nasolabial (popularmente chamado de “bigode chinês”). Esta cirurgia plástica é comumente associada à blefaroplastia, que consiste justamente na correção das pálpebras.

Por fim, a chamada ritidoplastia frontal é aplicada para suavizar as marcas de envelhecimento na área da testa e região entre sobrancelhas (dobra glabelar). Também é possível realizar uma cirurgia geral, que abrange todas as áreas do rosto em um mesmo procedimento.

Para identificar o tipo de lifting facial mais indicado para seu caso, é fundamental passar pela avaliação de um cirurgião plástico. Este profissional poderá não apenas indicar o procedimento que melhor atende cada paciente, explicando detalhadamente a técnica aplicada e alinhando as expectativas individuais aos resultados que poderão ser obtidos.

Evolução pós-operatória e resultados

A ritidoplastia é um procedimento completamente individualizado, executado de maneira a respeitar as características individuais do paciente e suavizar os sinais de envelhecimento. O processo de recuperação também varia de uma pessoa para outra, respeitando sempre as condições do organismo de cada um. O processo de cicatrização leva meses, e tanto o inchaço como as cicatrizes vão desaparecendo com o tempo.

Cerca de três meses após a realização do lifting facial, o paciente já poderá notar diferenças na aparência da pele e redução das rugas, assim como recuperação do tônus muscular e suavização da flacidez. Quando o processo de recuperação estiver totalmente completo, as marcas da incisão ficarão escondidas no couro cabeludo e a pele da região apresentará um aspecto natural e renovado.

Vale lembrar, entretanto, que a ritidoplastia não é capaz de impedir que o envelhecimento da pele e do organismo continue ocorrendo. Apesar disso, é possível prolongar os efeitos da cirurgia por meio da adoção de cuidados específicos com a pele e com a saúde, o que inclui uso frequente de protetor solar, prática regular de exercícios físicos e eliminação do tabagismo.

 

Fontes:

Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica;

Academia Brasileira de Cirurgia Plástica da Face;

Clínica de Cirurgia Plástica Dr. João Pedro Biló.

Cirurgião plástico formado pela Escola Paulista de Medicina - UNIFESP e com especialização em Microcirurgia e Cirurgia Reparadora pela mesma instituição. Também, Médico Colaborador do Setor de Microcirurgia e Reconstrução de Membros Inferiores da Disciplina de Cirurgia Plástica da Universidade Federal de São Paulo Escola Paulista de Medicina (UNIFESP / EPM).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *