Fale conosco pelo WhatsApp

Blefaroplastia

Blefaroplastia

Chamada de blefaroplastia, a cirurgia plástica nas pálpebras é um procedimento que pode ser tanto estético como para correção de problemas como ptose (queda da pálpebra) e xantelasmas (pequenas bolas de gordura e colesterol que surgem nos olhos). Apesar de mexer em uma região sensível do corpo, esta é uma operação considerada simples e rápida, que pode ser realizada apenas com anestesia local.

A face é uma das regiões que mais apresentam sinais de envelhecimento, sendo afetada por rugas, pés de galinha, linhas de expressão e surgimento de bolsas abaixo dos olhos. Por conta disso, as cirurgias plásticas faciais estão entre as mais visadas pelos brasileiros, que se preocupam em manter uma aparência mais jovem e descansada. Em geral, a blefaroplastia é procurada por pessoas com mais de 40 anos, embora não exista uma regra para isso.

Para quem a cirurgia é indicada?

A blefaroplastia é uma cirurgia plástica indicada para pessoas que apresentam frouxidão nas estruturas das pálpebras, bolsas de gordura visíveis e pele flácida ao redor dos olhos.

Além da finalidade estética, o procedimento corrige a presença de bolas de colesterol, quedas da pálpebra que atrapalham a visão e casos de obstrução das vias lacrimais. A técnica, portanto, é indicada para casos de:

  • Excesso de pele e/ou flacidez nas pálpebras;
  • Bolsa de gordura abaixo dos olhos;
  • Ptose palpebral (queda das pálpebras por causas musculares);
  • Pseudoptose palpebral (queda das pálpebras por excesso de pele);
  • Presença de xantelasmas;
  • Face com aspecto de cansaço.

A necessidade de realizar o procedimento sempre deve ser discutida juntamente com um cirurgião plástico, que avalia as expectativas do paciente às possibilidades da operação.

Isso porque, dependendo das queixas do indivíduo, a blefaroplastia pode não ser a cirurgia mais indicada. Uma vez que a cirurgia nas pálpebras não altera a musculatura, queixas como pés de galinha e marcas de expressão não são corrigidas pelo procedimento cirúrgico.

O profissional também se responsabiliza por avaliar a segurança da técnica e os riscos existentes, considerando as condições clínicas do paciente e o estilo de vida levado por ele.

Assim como existem casos em que a blefaroplastia é indicada, existem restrições que devem ser avaliadas de maneira criteriosa pelo cirurgião. Algumas circunstâncias que podem servir de alerta e devem ser discutidas de maneira franca com seu cirurgião são:

  • Tabagismo;
  • Existência de problemas oculares graves;
  • Presença de infecções em andamento;
  • Existência de problemas de saúde que podem comprometer a cicatrização ou plena recuperação do paciente, tais como diabetes ou hipertensão.

Como funciona a blefaroplastia?

Esta é considerada uma cirurgia de baixa complexidade, e consiste na remoção de pele acumulada na região e posterior sutura da pele. A localização e formato da incisão podem variar de acordo com o objetivo da cirurgia, mas sempre respeita as linhas naturais da face para que a cicatriz fique bastante disfarçada.

Os pontos podem ser tanto absorvíveis (caem sozinhos) ou removíveis, e em alguns casos é possível até mesmo utilizar adesivos cirúrgicos. A blefaroplastia pode ser feita com utilização de anestesia geral, embora o mais comum seja anestesia local com sedação. A internação não costuma ultrapassar 24 horas, sendo que muitas vezes o paciente tem alta no mesmo dia da cirurgia.

Tipos de cirurgias plásticas nos olhos

A blefaroplastia pode ser realizada tanto na pálpebra superior como na inferior, dependendo da finalidade do procedimento. Quando realizada na região superior, a cirurgia geralmente implica na retirada de elementos que estejam atrapalhando a visão ou na correção de sobrancelhas caídas.

A cirurgia na pálpebra inferior é mais habitual, e está associada ao rejuvenescimento facial por meio da eliminação do tecido adiposo e excesso de pele. Este procedimento exige uma abordagem mais individualizada para garantir que as variáveis anatômicas do paciente sejam respeitadas, levando a um resultado satisfatório e que não deixe evidente que a pessoa foi submetida a uma cirurgia plástica.

Pré-operatório e recuperação cirúrgica

Apesar de simples, a blefaroplastia precisa ser devidamente avaliada e orientada por um cirurgião plástico. O pré-operatório exige a realização de exames como hemograma e coagulograma, bem como consultas específicas com um anestesiologista. Cigarros e medicações anticoagulantes devem ser evitados no mês que antecede a cirurgia, e todas as recomendações feitas pelo médico.

O período pós-operatório também é considerado bastante simples e, por mais que possa incluir dores e inchaços, os sintomas são totalmente administráveis com medicação. Os desconfortos devem desaparecer em cerca de uma semana, podendo variar um pouco de acordo com o organismo de cada paciente. A total cicatrização pode levar até 12 meses, mas o paciente já pode voltar às suas atividades em 30 dias.

Para garantir uma boa recuperação cirúrgica, são recomendados os seguintes cuidados por parte do paciente:

  • Aplicar compressas frias para diminuir o inchaço;
  • Não utilizar lentes de contato nos primeiros 15 dias;
  • Evitar a exposição ao sol no primeiro mês;
  • Tomar a medicação analgésica e antibiótica conforme receitado pelo médico;
  • Evitar o tabagismo e o consumo de bebidas alcoólicas;
  • Dormir de barriga para cima nas duas primeiras semanas;
  • Evitar atividades físicas no primeiro mês, esperando a liberação do cirurgião.

Resultados

Os resultados da blefaroplastia podem ser observados após 2 a 3 meses da realização do procedimento, que deixa uma cicatriz discreta e pouco perceptível. Pacientes que são submetidos à cirurgia de pálpebra ficam com aparência mais jovial e menos cansada, colhendo benefícios como:

  • Correção de pálpebras caídas;
  • Redução das bolsas localizadas sob os olhos;
  • Retirada do excesso de pele e flacidez;
  • Melhora da autoestima e bem-estar do paciente;
  • Suavização dos sinais de envelhecimento palpebral e facial.

Vale lembrar que o processo de envelhecimento faz parte da natureza e, certamente, os resultados obtidos com a blefaroplastia não duram para sempre e não poderão impedir que as marcas do tempo continuem aparecendo. A pele e a bolsa de gordura que foram removidos certamente não voltam, mas é preciso manter uma rotina de cuidados para evitar que novos sinais surjam na pele.

Para saber mais sobre a blefaroplastia e outros procedimentos cirúrgicos, sejam eles estéticos ou reparadores, agende uma consulta com um cirurgião plástico de confiança.