Fale conosco pelo WhatsApp

Ritidoplastia: antes e depois

Mulher com rosto jovem depois de passar pela ritidoplastia
10set, 2020

A ritidoplastia, conhecia popularmente como lifting facial, é um procedimento estético que tem a finalidade de suavizar os sinais visíveis de envelhecimento no rosto e no pescoço. Por meio da remoção de rugas e excesso de pele, a cirurgia proporciona um aspecto mais jovem ao paciente. Entretanto, para um bom resultado, existem cuidados necessários antes e depois da ritidoplastia.

Embora seja popular por seus resultados, homens e mulheres que desejam se submeter a esta intervenção devem se atentar aos procedimentos recomendados antes e depois da ritidoplastia, garantindo uma cicatrização eficiente e um procedimento mais seguro.

Pré-operatório da ritidoplastia

Assim como em qualquer outra cirurgia plástica, o paciente deve realizar diversos exames clínicos para que o profissional verifique se o indivíduo se encontra apto a realizar a ritidoplastia. Isso permite que sejam identificados as possíveis complicações e os fatores de risco que podem prejudicar a realização do procedimento e a recuperação do paciente.

Durante a primeira consulta, também será analisado os hábitos de saúde e estilo de vida do paciente. É importante que o paciente seja sincero em relação a esses detalhes, já que algumas particularidades podem representar um risco à qualidade de vida do paciente e na recuperação pós-cirúrgica.

Portanto, é necessário informar minuciosamente os hábitos, especialmente porque, alguns deles podem e devem ser interrompidos com antecedência, como:

  • Uso de medicamentos anticoagulantes;
  • Uso de tabaco, e evitar a ingestão de bebidas alcoólicas.

O paciente também deve se atentar ao jejum indicado pelo profissional responsável e outros detalhes que podem ser necessários. Tudo pode ser discutido logo na primeira consulta, evitando assim problemas antes ou depois da ritidoplastia.

Pós-operatório

Como foi dito, os cuidados necessários antes e depois da ritidoplastia são fundamentais para que a cirurgia ocorra sem maiores problemas. Essa atenção possibilita também que o paciente tenha uma recuperação tranquila.

Embora o pré-operatório seja uma etapa importante, por anteceder a cirurgia, o pós-operatório também tem a sua devida importância e não deve ser negligenciado. Após a alta hospitalar, que geralmente ocorre em no máximo 24 horas após a internação, o paciente poderá apresentar inchaços e manchas roxas na região, assim como desconforto.

Esses sintomas são considerados esperados, e não devem alarmar o paciente, que deverá seguir corretamente as instruções médicas — fazendo também o uso correto dos medicamentos prescritos pelo cirurgião.

Nas primeiras 48 a 72 horas, é recomendado que o paciente durma com a cabeceira da cama elevada, evitando encostar a lateral da face no travesseiro. Outros cuidados necessários nesse momento são:

  • Evitar a exposição ao sol;
  • Seguir a orientação médica para a correta higienização das suturas e troca dos curativos;
  • Manter a dieta recomendada, evitando alimentos gordurosos;
  • Não realizar atividades físicas por pelo menos 30 dias após a cirurgia.

Os incômodos devem desaparecer gradativamente e as atividades rotineiras podem ser retomadas, geralmente, após 14 dias. Mesmo com esta estimativa, ainda assim é necessária a avaliação médica, já que cada caso apresenta suas particularidades.

Importância dos cuidados antes e depois da ritidoplastia

É fundamental que o paciente se atente aos detalhes que envolvem os procedimentos e cuidados necessários antes e depois da ritidoplastia, já que cada atitude pode influenciar negativamente ou positivamente em sua recuperação e nos resultados da cirurgia.

O cirurgião plástico responsável pela operação deverá passar todos os cuidados e detalhes a respeito do antes e depois da ritidoplastia, tirando as dúvidas do paciente e garantindo que tudo ocorra da maneira mais segura possível. Por isso sinta-se à vontade para perguntar tudo neste momento, de modo que nenhuma questão fique em aberto para o dia da cirurgia.

Fontes:

Clínica de Cirurgião Plástica – Dr. João Biló;

Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).

Cirurgião plástico formado pela Escola Paulista de Medicina - UNIFESP e com especialização em Microcirurgia e Cirurgia Reparadora pela mesma instituição. Também, Médico Colaborador do Setor de Microcirurgia e Reconstrução de Membros Inferiores da Disciplina de Cirurgia Plástica da Universidade Federal de São Paulo Escola Paulista de Medicina (UNIFESP / EPM).