Fale conosco pelo WhatsApp

Qual o preço do Lifting Facial?

Mulher entrega dinheiro para médico com luvas
13jan, 2021

Um conjunto de fatores determina o quanto se paga por este procedimento; relação custo-benefício do lifting costuma ser positiva

O lifting facial, também conhecido como ritidoplastia, é uma das cirurgias plásticas faciais de maior procura no País. Ele corresponde, em linhas gerais, a intervenções no rosto e no pescoço de mulheres e homens que apresentem rugas, linhas de expressão, manchas e pele flácida.

Os interessados em tal procedimento, antes mesmo de decidirem pelo cirurgião plástico que fará a cirurgia, se preocupam com o preço do lifting facial.

Mas, qual o preço do lifting facial? O que compõe tal custo? Quais os elementos que entram na conta final de cada cirurgia do gênero? Estas e outras questões são importantes na hora de cada paciente decidir por fazer um procedimento assim – e precisam ser elucidadas.

Veja a seguir como é formada a precificação do procedimento cirúrgico e demais particularidades acerca do tema, com informações cedidas pelo cirurgião plástico Dr. João Biló.

Normas do Conselho Federal de Medicina

Apenas um profissional especializado pode fornecer o preço exato a ser cobrado por um lifting facial. Isto devido a uma norma do Conselho Federal de Medicina (CFM).

Segundo a resolução de número 1.974/2011 do CFM – o qual tem a prerrogativa de estabelecer normas acerca de toda e qualquer ação médica –, é vedada a divulgação de preços de procedimentos de saúde através de todo e qualquer meio de comunicação inclusive redes sociais, ou mesmo e-mails.

Idêntica determinação serve para os meios de pagamento a serem usados, e para eventuais descontos e/ou alternativas de parcelamento de débitos.

Profissionais sérios jamais quebram esta e outras normas do CFM (e os que o fazem podem ser penalizados). Devido a isto o preço do lifting facial só pode ser informado após consulta médica.

Mas pode-se elencar, sem prejuízo da ética médica, fatores que são determinantes para que se chegue ao preço em questão.

Deve-se ter em vista, por exemplo, que o preço do lifting facial oscila de acordo com elementos tais como:

  • Custos hospitalares- internação e hotelaria do local;
  • Exames pré-operatórios;
  • Custos com o deslocamento/hospedagem a pacientes que não residem na capital de São Paulo;
  • Custos com deslocamento para consultas de retorno de pós-operatório;
  • Honorário do cirurgião plástico;
  • Honorários da equipe que assiste a esse profissional (cirurgião plástico auxiliar, instrumentador e anestesista);
  • Medicamentos indicados no pós-operatórios, podendo ser analgésicos para dor e anti-inflamatórios para minimizar riscos de infecções.

Convém lembrar: muito mais relevante do que o valor a ser pago, deve a paciente levar em conta os benefícios a serem atingidos com a realização da cirurgia de lifting facial.

Pode parecer bobagem, mas sentir-se bem e com a autoestima elevada, por vezes, não tem preço. Para isso, é imprescindível que o paciente faça a cirurgia com um médico devidamente registrado junto aos órgãos competentes, como a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).

Outros elementos a serem considerados

Além dos fatores citados acima, também é determinante para que se estipule a quantia a ser paga por um lifting facial:

  • Necessidade, ou não, de associar ao lifting facial a ser feito uma cirurgia das pálpebras, tudo no mesmo procedimento;
  • Se é uma cirurgia secundária – o paciente já foi submetido a um procedimento na face anteriormente;
  • Assessoria de um cuidador/enfermeiro no pós-operatório.

Médicos conceituados, cirurgiões plásticos de renome e respeitados, saberão informar em uma consulta o preço do lifting facial. Desconfie de locais que informem valores fechados ou que ofertem muitas facilidades de pagamento.  É importante evidenciar que o valor só pode ser informado em consultório e após consulta médica junto ao cirurgião.

Entre em contato com o cirurgião plástico Dr. João Biló, tire suas dúvidas e tenha acesso ao preço do lifting facial.

Fontes:

Clínica de Cirurgia Plástica – Dr. João Biló

Conselho Federal de Medicina;

Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

 

 

Cirurgião plástico formado pela Escola Paulista de Medicina - UNIFESP e com especialização em Microcirurgia e Cirurgia Reparadora pela mesma instituição. Também, Médico Colaborador do Setor de Microcirurgia e Reconstrução de Membros Inferiores da Disciplina de Cirurgia Plástica da Universidade Federal de São Paulo Escola Paulista de Medicina (UNIFESP / EPM).